sábado, 31 de março de 2012

PROJETOS SALITRE E BAIXIO DE IRECÊ NÃO VIABILIZAM PPP E ESTÃO ATRASADOS




Em várias oportunidades, temos insistido na necessidade de acelerar e concluir as grandes obras de interesse da Bahia, pelos óbvios impactos e benefícios para as novas fronteiras  agrícolas e minerais em suas regiões de influência.

Hoje destacaremos os megaprojetos de irrigação do Salitre e Baixio de Irecê , os quais, somados, perfazem uma área total aproximada de 90 mil hectares.


Como se sabe,  o PIB de 1 hectare irrigado é cerca de 8 a 10 vezes  superior ao da  média da lavouras de sequeiro. E projetos de irrigação  gera investimentos a montante e a jusante das cadeias produtivas irrigadas, com adensamento com as industrias de sucos, doces, polpas  e  frutas desidratadas (ver iniciativas recentes da Casa  Valduga,  Suemi fruit e Ducoco, em juazeiro, na Bahia, visando a produção de sucos, geleias espumantes e,  no segundo caso, água de coco).


O etanol também é outra possibilidade promissora, além da possível  futura  presença de pesos pesados da indústria de sucos. Não é por acaso que juazeiro e Petrolina figuram entre os maiores municípios brasileiros no ranking da renda agrícola, elaborado anualmente pelo IBGE.


Pois bem,  os 2 projetos, com execução atrasada, e previsão de conclusão para 2014, estão aparentemente enquadrados no esquema de PPP-Parceria Público-Privada, mas as licitações para levar a cabo a conclusão de ambos ainda não saíram, sendo necessária uma pressão  conjunta do Governo Estadual e das bancadas baianas no Parlamento, para o Governo Federal desencadear o processo.


A conclusão permitirá um notável impulso para o agronegócio baiano, equivalendo a um  efeito  similar ao proporcionado por uma superfície de 900 mil hectares de lavouras de sequeiro. Isso é metade da  expansão anual da área de grãos  do Brasil inteiro, no período recente.

Fonte: Bahia Economica

Video do Baixio de Irecê

Oi pessoal o "Blog Baixio de Irecê" está com esse vídeo que fala sobre o projeto. Dr ° Sergio engenheiro do projeto fala sobre varias coisas importantes que muita gente não sabia mais que agora podem saber assistindo esse belo vídeo produzido pela "Tv João Dourado" .


quinta-feira, 29 de março de 2012

Secretário de Agricultura de Alagoas visita Perímetro Irrigado Salitre


Secretário de Agricultura de Alagoas visita Perímetro Irrigado Salitre


Com o objetivo de conhecer de perto o Perímetro Irrigado Salitre, em Juazeiro (BA), e verificar a possibilidade de firmar acordo de cooperação técnica com a Codevasf, o secretário de agricultura de Alagoas, Jorge Silva Dantas, visitou nesta semana a 1ª etapa do projeto, que envolve 255 lotes agrícolas.
Na ocasião, o representante da Superintendência Regional da Codevasf em Juazeiro junto às organizações de pequenos produtores, João Tosta, apresentou em linhas gerais o empreendimento, desde a infraestrutura com transporte rodoviário e um aeroporto para escoamento da produção, passando pelos centros de ensino, pesquisa e tecnologia até as linhas de produção e modelos de associativismo.
Além disso, também explicou como é realizado o modelo de gestão compartilhada entre a Codevasf e o Consórcio Plena/Projetec que tem como meta criar um novo marco na agricultura irrigada brasileira, “por meio da gestão eficiente de informações e subsídios aos agricultores para a correta programação do plantio agrícola, sempre utilizando planejamento, estruturação e formação de organizações dos usuários e serviço de assistência técnica e extensão rural – ATER para o Salitre”.
Tosta destacou que a proposta de gestão compartilhada do Perímetro Irrigado  Salitre representa um marco na administração dos perímetros públicos de irrigação. “Nosso objetivo é transformar a experiência no Salitre em um modelo que poderá ser implantado em novos perímetros de irrigação da Codevasf”, explicou.
Todo o trabalho, que tem o suporte de 20 profissionais entre engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas, é executado em três linhas de ação: desenvolvimento sustentável no âmbito social, ambiental e econômico; melhoria da qualidade de vida dos agroempreendedores; geração de emprego, trabalho e renda para as famílias dos produtores rurais.
Num segundo momento, a comitiva da Secretaria de Agricultura de Alagoas visitou estações de bombeamento, canais de irrigação e alguns lotes de produção onde puderam conhecer a infraestrutura operacional e de manutenção utilizada e verificar a qualidade das frutas produzidas como mamão, melão e banana.
O secretário de Agricultura de Alagoas, Jorge Silva Dantas, ressaltou a necessidade do intercâmbio para fortalecer o setor. “A troca de experiências é fundamental para o crescimento de qualquer meio, e acredito na possibilidade de parceria entre o governo federal/Codevasf e o governo do estado de Alagoas visando melhorar as condições dos pequenos produtores rurais”, concluiu.

SOBRE O PERÍMETRO IRRIGADO
O Perímetro Irrigado Salitre está localizado em um dos maiores polos de agricultura irrigada do semiárido nordestino, a região do sub-médio São Francisco, com lotes agrícolas a 20 km de Juazeiro (BA). A área total é de 67.100 hectares, sendo, 31.305 ha irrigáveis e 16.600 ha de sequeiro. Na 1ª etapa, recebeu investimentos através de financiamento do Banco do Nordeste da ordem de aproximadamente R$ 12 milhões, sendo R$ 6 mi para produção de cultivos; R$ 4,5 mi em sistemas de irrigação e R$ 1,5 mi em infra-estrutura.
O perímetro possui uma estação meteorológica que já se encontra registrando dados do clima, ação importante para os produtores rurais, uma vez que os dados obtidos irão ser utilizados para o manejo da irrigação. Entre as culturas plantadas, destacam-se goiaba (150 hectares), melão (129 ha), cebola (81 ha), banana (77 ha), abóbora (67 ha), tomate (63 ha), manga (61 ha) e coco (51 ha).
Aliado a isso, existe diariamente a cotação de preços, onde são disponibilizados os valores de hortifrutícolas vendidos no Mercado do Produtor de Juazeiro e também de outras Centrais de Abastecimento do Brasil e tem como objetivo apoiar o agroempreendedor no processo de comercialização.

Fonte: Codevasf

terça-feira, 27 de março de 2012

Peixamento em Barra (BA) em comemoração ao Dia Mundial da Água


Peixamento em Barra (BA) em comemoração ao Dia Mundial da Água





Mais de 10 mil peixes juvenis da espécie Curimatã pioa  foram inseridos nos rios Grande e São Francisco, em Barra (BA), como parte das atividades do Centro Integrado de Recursos Pesqueiros e Aquicultura de Xique-Xique (2º/CIX), em comemoração ao Dia Mundial da Água, transcorrido no último dia 22 de março. O evento foi promovido pela Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Meio Ambiente e Turismo, contando com o apoio da Codevasf. Participaram da solenidade autoridades locais, estudantes das escolas municipais do ensino fundamental e representantes da Companhia.
Além do ato simbólico de repovoamento, com a soltura de peixes nativos, produzidos no 2º/CIX, foram plantadas mudas de plantas nativas para arborização da região do cais da cidade. A programação teve também palestra, apresentações teatrais, recitais de poemas e distribuição de cartazes alusivos à preservação ambiental e revitalização dos recursos hídricos.
Para a médica veterinária e técnica da Codevasf Walkyria Antunes Pignata Feitosa, eventos como esse despertam na população uma maior conscientização sobre a importância e a responsabilidade de cada um para construir uma sociedade mais equitativa e ambientalmente sustentável.

Fonte: Codevasf

Obs: "Atos como este de concientização das crianças vai ajudar e muito a criarmos um mundo melhor no futuro."

segunda-feira, 26 de março de 2012

Integração Nacional anuncia medidas para reduzir efeitos da estiagem na Bahia

Estado recebe o investimento de R$ 198 milhões pelo programa Água para Todos e municípios atingidos pela seca recebem R$ 10 milhões para ações de socorro e assistência
Salvador (BA) - A Secretaria Nacional de Defesa Civil reconheceu, até o momento, 78 municípios baianos castigados pela estiagem nas últimas semanas. Neste contexto, o Ministério da Integração Nacional liberou o total de R$ 208 milhões para levar água à população prejudicada. O anúncio foi feito nesta segunda-feira (26/03) pelo ministro Fernando Bezerra Coelho na presença do governador Jaques Wagner.
Governos federal e estadual firmaram convênio no valor de R$ 198 milhões para a construção, em 2012 e 2013, de pequenas barragens, cisternas e de 1.240 sistemas coletivos de abastecimento de água no estado, que são compostos de poços artesianos e redes de distribuição de água. Cada um deles atende 40 pessoas em média, sendo parte do Programa Água para Todos. Os primeiros 496 sistemas serão entregues até o final deste ano, beneficiando cerca de 20 mil pessoas residentes em comunidades rurais dispersas do estado.
Além disso, municípios receberam R$ 10 milhões para ações de socorro, assistência às vítimas e compra de alimentos e medicamentos. Entre eles estão Nova Redenção (R$ 200 mil), Abaína (R$ 200 mil), Andaraí (R$ 200 mil), Ibicoara (R$ 200 mil) e Itaetê (R$ 200 mil).
A Operação Carro-Pipa também faz parte do pacote de ações do governo federal para reduzir os efeitos da estiagem na região baiana.
“A seca é muito dura não só na Bahia, como em outros estados do Nordeste. A presidenta Dilma Rousseff recomentou todo o esforço do Ministério da Integração Nacional para oferecer parceria e apoio financeiro aos governos estaduais e municipais para enfrentarmos essa situação de emergência”, afirmou ministro Fernando Bezerra Coelho durante a solenidade.
Inclusão produtiva -Na mesma solenidade o Ministério da Integração Nacional e o governo baiano firmarão acordo de cooperação técnica para implementação do eixo Inclusão Produtiva do Plano Brasil sem Miséria, visando a estruturação e dinamização de Arranjos Produtivos Locais (APLs) inseridos nas Rotas de Integração Nacional. Com o investimento de R$ 24 milhões pelo Ministério da Integração Nacional serão beneficiadas as cadeias produtivas de ovinocaprinocultura  de leite e de corte (Rota do Cordeiro), da fruticultura (Rota da Fruta) e apicultura (Rota do Mel), além de iniciativas de economia criativa.

Fonte: Ministério da Integração Nacional

sábado, 24 de março de 2012

Bahia Agrícola: Região de Irecê

Potencial produtivo dessa área do estado é ignorado pelo governo baiano
João Santana, ex-ministro da Integração Nacional
João Santana*
 Ex-Ministro da Integração Nacional



Temos ainda mais destaque na produção agrícola da região. Nem todos os baianos sabem que a micro-região de Irecê também é a maior produtora de pinha do Nordeste, tendo como lideres os municípios de Presidente Dutra e Uibai. E que pinhas deliciosas!!! Infelizmente para os paladares baianos, a produção é quase que totalmente comprada pelo Estado de São Paulo.
Esta produção, apenas incentivada pela audácia de seus produtores, começa a se ampliar através da irrigação já atingindo outros municípios da micro-região. E o solo? É bastante uniforme, vindo a diferir um pouco daqueles situados mais próximos das barrancas do São Francisco, a exemplo de áreas do município de Xique-Xique.
Todos nós sabemos que, em geral, o solo brasileiro é pobre em fósforo, excetuando-se as “terras negras” dos índios da Amazônia, algumas manchas da região cacaueira da Bahia, e parte considerável da micro-região de Irecê. Lá existem jazidas deste minério precioso praticamente na superfície, “ a céu aberto”, como dizem os velhos garimpeiros.
Voltando às potencialidades da região que envolve 19 cidades e cerca de  450 mil habitantes, produzindo tradicionalmente feijão, mamona, milho, pinha e, mais recentemente cenoura, beterraba e cebola, lavouras que, diante da semi-aridez da região, da falta de crédito, pesquisa e assistência técnica, são produzidas graças à força e à determinação de luta pela sobrevivência praticada por homens e mulheres sertanejos.
Essa região não tem recebido atenção por parte dos governantes estaduais, de agora e do passado recente, que, orientados muitas vezes por paixões políticas locais e tentando iludir as pessoas, ao construírem ao longo de décadas, obras e equipamentos públicos de efeitos eleitoreiros, como verdadeiras esmolas, esquecem o que é produzido nela para o Estado e a União.
Quanto à sua economia, nada. Nenhuma atenção especial. Nenhum projeto de médio ou longo prazo liderado pelo Estado. Nem qualquer medida de curto prazo que mereça acatamento e respeito. Há alguns anos, durante uma exposição agropecuária em Irecê, um Secretário de Estado da Bahia, apresentou ao lado de “deputados copa–do–mundo”, perspectivas de diversificação da produção regional. Foram tão ridículas as mais de vinte opções apresentadas, tão distantes da realidade tradicional dos produtores agrícolas, que deixo de mencioná-las neste artigo, pois, se não temos nenhum compromisso com o trágico, jamais teríamos com o cômico.
Tudo isso, insistimos, dentre outros motivos reside no fato de o Estado da Bahia jamais ter definido seu papel na economia agrícola e, de certo, no dia em que o fizer,  a micro-região de Irecê será vista e contribuirá ainda muito mais do que já tem feito pela economia agrícola do Estado, e para o “estômago” dos baianos.
Oportunamente, em outro artigo, comentaremos sobre o abandono da infraestrutura daquela região, o que aumenta os percalços dos seus produtores na tentativa de sobreviver produzindo.

Fonte:Blog do Geddel

Governo da Bahia recebe R$ 167 milhões do 'Água para Todos


O governo da Bahia e o Ministério da Integração Nacional assinam um convênio, nesta segunda-feira (26), para a construção de 1.240 sistemas coletivos de abastecimento de água em todo o estado. No total, serão repassados R$ 167 milhões em recursos do programa "Água para Todos" para a Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia (Cerb), órgão ligado à Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), que será responsável pela implantação. De acordo com a administração estadual, cerca de R$ 71 milhões já foram empenhados e os primeiros 496 equipamentos serão entregues até o final deste ano, o que deverá beneficiar cerca de 20 mil pessoas residentes em comunidades rurais baianas. O sistema é composto de poço artesiano e rede de distribuição, que atende a 40 pessoas em média. A cerimônia de assinatura será às 10h, na Fundação Luís Eduardo Magalhães, no Centro Administrativo da Bahia (CAB), em Salvador.
Bahia Notícias
 
Fonte: AvozOnline

sexta-feira, 23 de março de 2012

São Francisco - Mais de mil pessoas prestigiam Feira de Troca de Experiências

Salgueiro (PE) - “Acredito que não será uma plantação de uma única safra, mas sim uma plantação de safra contínua”, declarou a professora Rosimeire Silva da Escola Estadual José Leite de Souza, do município de Monteiro (PB). Ela participou da “Feira de Troca de Experiências”, em Salgueiro (PE).  Para a professora, o Subprograma de Educação Ambiental nas Escolas do Projeto de Integração do Rio São Francisco representa um avanço na preservação do meio ambiente.
Vindos de vários municípios da área de influência do Projeto de Integração do Rio São Francisco, professores e estudantes aprovaram o espaço propiciado pelo Ministério da Integração Nacional. Professora de Língua Portuguesa, Rosimeire ressalta que hoje, os jovens estão críticos e bem mais sensibilizados com o meio ambiente.  “O que foi repassado pela Educação Ambiental do Projeto atingiu principalmente os alunos”, concluiu a professora.
O evento, promovido pelo Ministério da Integração Nacional, é idealizado pelo Programa de Educação Ambiental no âmbito do Projeto de Integração do Rio São Francisco. O objetivo é promover a troca de ideias e vivências pedagógicas entre as comunidades escolares, bem como avaliar os resultados alcançados pelo “Subprograma de Educação Ambiental nas Escolas” por meio da exposição dos trabalhos de mais de 600 profissionais de educação.
O professor Francisco de Assis Bezerra, da Escola Estadual General Joaquim Inácio, do município de Custódia (PE), afirma que o trabalho da equipe ambiental do Projeto foi responsável também pela mudança de comportamento da comunidade.  “As pessoas estão mais conscientes com o uso da água”. Segundo o professor, a realização da “Feira de Troca de Experiências” fecha com “chave de ouro”, o trabalho realizado pelo Ministério da Integração.
“É possibilidade de criar um sentimento de meio ambiente nos espaços onde os alunos estão inseridos”, destaca o professor José Martonny, da Escola Municipal Darival Teles Cartaxo, de Mauriti (CE), no trabalho desenvolvido pelo Subprograma de Educação Ambiental nas Escolas.  “O nosso primeiro passo foi iniciar uma limpeza nossa escola”, ressalta o professor.
Educação Ambiental - O Subprograma de Educação Ambiental nas Escolas, parte integrante dos 38 Programas Ambientais do Projeto São Francisco tem o objetivo de capacitar professores e coordenadores pedagógicos para a prática da educação ambiental no ensino formal. Como resultado, o Projeto São Francisco capacitou mais de mil profissionais nos municípios de Cabrobó, Custódia, Floresta, Salgueiro, Sertânia, Betânia, Terra Nova e Verdejante, em Pernambuco; Cajazeiras, Monte Horebe, Monteiro e São José de Piranhas, na Paraíba e Brejo Santo, Barro, Mauriti, Jati e Penaforte, no Ceará. Ao todo, serão investidos quase R$ 1 bilhão em ações socioambientais.

Fonte: Ministerio da Integração Nacional

Equipamentos para irrigação em alta no país

 
 
 
Depois de crescer quase 47% entre 2000 e 2011 e alcançar 4,5 milhões de hectares, a área agrícola do país irrigada com sistemas fabricados pelas principais empresas que atuam no segmento tende a ganhar mais impulso com a constante busca por eficiência nas lavouras, os limites físicos para a expansão das áreas de plantio e em razão da crescente preocupação com danos como os provocados pela estiagem às lavouras de grãos na região Sul nesta safra 2011/12.
 
De acordo com informações da Câmara Setorial de Equipamentos de Irrigação da Associação Brasileira da Indústria de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), suas 34 associadas, que representam 90% das fabricantes do ramo, estimam que as vendas deverão alcançar R$ 1 bilhão neste ano, quase 18% mais que em 2011 (R$ 850 milhões) - quando o incremento em relação a 2010 já foi pouco superior a 10%.
 
Mesmo que lentamente, tendo em vista a pujança do agronegócio brasileiro, a área irrigada vem aumentando em ritmo constante nos últimos anos (ver gráfico). A abundância de água no país ajuda a limitar a velocidade desse avanço, mas as frequentes estiagens em regiões tradicionais de produção, as oportunidades de diversificação de cultivos em áreas com déficits hídricos e a busca por mais produtividade estimulam a demanda por equipamentos do segmento, sobretudo em anos de boa rentabilidade agrícola como foi 2011.
 
Prova disso é que os 170,6 mil hectares irrigados incorporados no ano passado resultaram na maior expansão anual, em termos absolutos, desde 2000. Segundo a Agência Nacional de Água (ANA), os 4,5 milhões de hectares irrigados alcançados ainda equivalem a apenas 8,3% da área total ocupada por lavouras do Brasil; mas, mesmo assim, a irrigação é o segmento que mais consome água no país, e é preciso maior eficiência no uso dos recursos naturais neste caso.
 
Considerando-se apenas pivôs e carreteis (equipamento para aspersão mecanizada), foram vendidas 1,4 mil unidades em 2011 pelas associadas à Abimaq, 12% mais que em 2010. A entidade não tem à disposição números sobre as vendas de aspersores, essenciais na irrigação localizada. Independentemente disso, Antonio Alfredo Teixeira Mendes, presidente da Câmara Setorial de Equipamentos de Irrigação da Abimaq, pontua que há uma demanda reprimida "fortíssima" por esses e outros equipamentos do segmento no Brasil.
 
"Não seria nada inesperado se todo o setor duplicasse o faturamento nos próximos três anos", afirma o dirigente. Citando dados da Secretaria Nacional de Irrigação, vinculada ao Ministério da Integração Nacional, Mendes afirma que a área potencial para a implantação da técnica chega a 30 milhões de hectares no país.
 
O presidente da Câmara da Abimaq confirma que a seca no Sul do país provocou o aumento de consultas e negócios, mas lembra que há restrições de outorga de água e licenciamento para barragens. As perdas agrícolas derivadas da estiagem na safra de grãos 2011/12 foram maiores que o investimento necessário para implementar a irrigação em larga escala na região.



Fonte: Seagri

quinta-feira, 22 de março de 2012

Hoje dia Mundial da Água



A água é um recurso natural de valor inestimável. Mais que um insumo indispensável à produção e um recurso estratégico para o desenvolvimento econômico, ela é vital para a manutenção dos ciclos biológicos, geológicos e químicos que mantêm em equilíbrio os ecossistemas. É, ainda, uma referência cultural e um bem social indispensável à adequada qualidade de vida da população.

Água é fonte da vida. Todos os seres vivos, indistintamente, dependem dela para viver. No entanto, por maior que seja sua importância, as pessoas continuam poluindo os rios e suas nascentes, esquecendo o quanto ela é essencial para a permanência da vida no Planeta. Muito se tem falado a respeito da "crise da água", e especula-se sobre a possibilidade da escassez deste recurso vital se tornar motivo de guerras entre países.


É preciso haver consciência de que, exceto no caso de regiões do planeta em que há uma limitação natural da quantidade de água doce disponível, na maioria dos países o problema não é a quantidade, mas sim a qualidade desse recurso, cada vez pior devido ao mau uso e à sua gestão inadequada.


Fonte: AvozOnline

sábado, 17 de março de 2012

Construção da BR 122 otima notícia para a região de Irecê!

Se a BR 122(Rodovia do biodiesel) for realmente concluída a região de Irecê sairá do isolamento e será colocada no mapa rodoviário nacional. Hoje para se ir de Irecê ao sudeste/sul é necessario dar uma verdadeira volta mas com a construção da BR 122 haverá um grande dinamismo na região que seria cortada por uma grande rodovia federal ligando diretamente a região aos grandes centros consumidores do sul-sudeste. O DNIT já concluiu os estudos de viabilidade técnica e ambiental da construção da BR 122 entre a divisa com Minas Gerais em Guanambi e a divisa com Pernambuco em Juazeiro e esperamos que a obra seja iniciada o quanto antes possível tornando possível o escoamento da produção do Baixio de Irecê e da região de Juazeiro encurtando a distância entre várias regiões. O Senador Walter Pinheiro se comprometeu a incluir a obra nos orçamentos da União.

O projeto da BR 122 foi realizado pela Strata Engenharia, empresa de elaboração de projetos que presta serviços ao Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transporte (Dnit). A rodovia que vai ligar o norte de Minas a Pernambuco passando pela Bahia, criará uma linha reta saindo de Montes Claros (MG), passando pelas cidades baianas de: Guanambi, Caitité, Paramirim, Boninal, Seabra, Souto Soares, Mulungu do Morro, Cafarnaum, América Dourada, Ourolândia, Brejão da Caatinga finalizando em Juazeiro ás margens do Rio São Francisco e ligará a região de Irecê ao Sul/Sudeste do Brasil e a várias outras regiões do nordeste.  

Fonte: SkyscraperCity

Ministro Fernando Bezerra Coelho vistoria obras do São Francisco em Custódia (PE)

Custódia (PE)- O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, foi conferir de perto nesta sexta-feira (16) o andamento dos trabalhos em dois lotes do eixo leste do Projeto de Integração do São Francisco na cidade de Custódia (PE).
Foram vistoriados o lote 10, que tem 52% de execução, e o lote 11, com 67% de avanço (fotos). Estes trechos devem ser concluídos em 2014. O lote 10, remobilizado em fevereiro, conta com 109 trabalhadores. Outros 689 operários estão em plena atividade no lote 11.
A expectativa é de que novas frentes de trabalho sejam criadas. "Em abril serão 700 trabalhadores e 200 equipamentos no lote 10", afirmou o ministro.  Hoje, 40 equipamentos, como caminhões e escavadeiras, estão em operação neste trecho.
Atualmente, o Projeto São Francisco emprega 3.500 pessoas. Com a remobilização das obras e o fim do período de chuvas este número deverá chegar a 6,5 mil.
As obras, fiscalizadas e supervisionadas pelo Ministério da Integração Nacional, são executadas pelo Consórcio Construtor Emsa/Mendes Jr., no lote 10, e pelo Consórcio OAS/Galvão/Barbosa Mello/Coesa no lote 11.
A obra, com cerca de 700 km de extensão, é uma das maiores do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O objetivo é levar água para 390 municípios de Pernambuco, Paraíba, Ceará e Rio Grande do Norte. Mais de 12 milhões de brasileiros serão beneficiados.
AVANÇO DAS OBRAS - O Ministério da Integração Nacional prevê que todos os lotes, em execução, estarão em ritmo adequado até o final de abril. Com a conclusão da renegociação dos contratos com os consórcios construtores foi iniciada uma nova etapa.
Dos 16 lotes existentes, 11 estão em atividade. O lote 9, em Floresta (PE), deverá ser remobilizado até o final de março. Já o lote 5, em Jati (CE) está em processo de licitação. Outros três lotes, o 3, em Salgueiro (PE), o 4, em Verdejante (PE), e o 7, em São José de Piranhas (PB), terão os contratos rescindidos.
No começo de fevereiro a presidenta Dilma Rousseff visitou trechos do projeto e ressaltou a importância da obra. "O ministro Fernando Bezerra Coelho negociou contratos, reequilibrou esses contratos e agora nós temos uma clara perspectiva de fazer com que essa obra entre em regime de cruzeiro e não tenha nenhum problema de continuidade. Essa obra é estratégica para o país", disse a presidenta.
Confira a galeria de imagens.

Fonte: Ministério da Integração Nacional

sexta-feira, 16 de março de 2012

Adutora do São Francisco será concluída em um ano, assegura Wagner




Em visita a Irecê, no dia 10 de março, o governador Wagner assegurou, para o início de 2013, a conclusão das três etapas da Adutora do São Francisco, que vai atender a microrregião de Irecê. Uma série de medidas foram tomadas para agilizar a obra, a exemplo da dispensa de licitação para a terceira etapa da construção, procedimento que será subsidiado principalmente pelos decretos de emergência emitidos pelas prefeituras municipais da microrregião atendidas pela Barragem de Mirorós.
“Não podemos permitir que 350 mil pessoas fiquem sem água devido a essa crise na barragem. Até o final do ano ou início do próximo, estaremos com a adutora pronta, abastecendo a região com água do Rio São Francisco”, garantiu o governador, que esteve em fevereiro em Brasília para solicitar ao Tribunal de Contas da União a dispensa da licitação.
Também estiveram presentes em Irecê, durante a visita do governador, o presidente da Embasa, Abelardo de Oliveira Filho; o diretor de Operação e Expansão Norte, Eduardo Araújo; o diretor de Gestão Corporativa, Belarmino Dourado; o diretor geral da Superintendência de Construções Administrativas da Bahia (Sucab), Elmo Vaz; além do secretário de Desenvolvimento Urbano, Cícero Monteiro.
2ª Etapa – A segunda fase da obra da adutora, que aguardava decisão judicial da disputa entre as empresas que concorreram à licitação lançada pela Embasa no ano passado, foi iniciada dia 7. As tubulações já estão sendo assentadas logo após a Estação de Tratamento de Água (ETA), localizada em Itaguaçu da Bahia, no sentido Xique-xique/Irecê. Nesta fase, a Embasa está investindo R$ 31,5 milhões para implantar 20 quilômetros de adutora, além de duas estações elevatórias, compreendidas no trecho entre Itaguaçu da Bahia e o município de Central.
Acompanhamento – No início do mês, o Diretor de Operação e Expansão Norte da Embasa, Eduardo Araújo, além de representantes da empresa contratada para executar o projeto da terceira etapa percorreram todo o trecho, entre Central e Irecê, onde serão implantadas as tubulações e estações de bombeamento para trazer água do rio São Francisco até o Sistema Integrado de Abastecimento de Água (SIAA) de Irecê.
De acordo com o diretor, o projeto deve ser finalizado até o final deste mês e a obra deve começar no início de abril. “As empresas que estão executando as etapas anteriores vão adaptar seus cronogramas para que as três fases sejam finalizadas no mesmo período. A intenção da Embasa é que toda a obra seja concluída em seis meses, devido à urgência da situação”, disse Araújo, que visitou também as frentes de serviço da primeira e segunda etapas.
O andamento da obra também está sendo acompanhado pelo Secretário de Desenvolvimento Urbano, Cícero Monteiro, que esteve em Irecê dia 10. Em visita a todas as frentes de serviço da construção da adutora, Monteiro informou que vai monitorar o andamento da obra. “Pretendo vir aqui todo mês, até que a adutora esteja pronta”, afirmou.
 Sobre Adutora do São Francisco
A obra de implantação da adutora, com valor total de R$ 178,6 milhões, foi a alternativa encontrada pelo Governo do Estado, através da Embasa, frente à contínua queda nos níveis do lago da Barragem de Mirorós nos últimos anos, devido à falta de chuvas e aos usos múltiplos da água como irrigação, abastecimento humano e perenização do Rio Verde.
A construção da primeira etapa foi iniciada em 2010, a partir de um investimento de R$75 milhões, e compreende implantação da captação, em Xique-xique, 61,7 quilômetros de adutora, cinco estações de bombeamento, além de uma Estação de Tratamento de Água e rede distribuidora em Itaguaçu da Bahia. 60% desta etapa construtiva já foram concluídos. Na segunda etapa serão investidos R$ 31,5 milhões na implantação de duas estações de bombeamento, além de 20,1 quilômetros de adutora. Na terceira fase da obra, será implantada a adutora de água tratada entre Central e Irecê, e a interligação da tubulação ao sistema integrado que hoje é abastecido pela Barragem de Mirorós. A Embasa vai investir, nesta etapa, um valor de R$ 72 milhões. A obra representa um investimento total de R$ 178 milhões.

Fonte: Embasa

Bahia Farm Show: um mundo de tecnologia para o pequeno, o médio e o grande produtor


A Bahia Farm Show, maior feira de tecnologia e negócios da Bahia e uma das cinco maiores do gênero do Brasil, será realizada de 29 de maio a 02 de junho deste ano, em Luís Eduardo Magalhães-BA. Mas, faltando ainda quase três meses para o evento, o mercado na região do cerrado baiano, e as atenções dos fabricantes de máquinas e implementos se voltam para ela. A esta altura, mais de 95% dos espaços já foram comercializados e a procura ainda é alta, entre novos possíveis expositores. Os veteranos, um espelho da indústria mundial de máquinas e implementos, já garantiram seus lugares ainda na edição de 2011. São ao todo mais de 300 marcas representadas no Complexo Bahia Farm Show, e uma novidade: um espaço totalmente dedicado à agricultura familiar.


“Será uma feira dentro da feira”, explica o coordenador-geral da Bahia Farm Show e diretor-executivo da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), Alex Rasia. Este espaço, denominado Plantando o Futuro, será organizado pela Secretaria da Agricultura (Seagri), e trará uma representação das cadeias produtivas regionais, sobretudo, as que integram a microrregião do Vale do Rio Grande, caracterizada pela pequena agricultura. Haverá um auditório onde serão ministradas palestras específicas para as caravanas de agricultores familiares que deverão participar da feira, além da prestação de serviços com apoio de outras secretarias e órgãos do governo. A organização da Bahia Farm Show disponibilizou uma área de 4,5 mil metros quadrados para a montagem desta estrutura.
“Tratores de pequeno porte, cultivadores e forrageiras são alguns exemplos de tecnologias disponíveis ao pequeno produtor. Além disso, os bancos oficiais, como o Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Bradesco e Desenbahia, apresentarão suas linhas de financiamento para este público”, diz Alex Rasia.
Expectativa em alta
Para o presidente  da Associação das Revendas de Máquinas e Implementos Agrícolas do Oeste da Bahia (Assomiba), Felipe Faccioni, a feira de 2012 deve repetir o sucesso da edição anterior. “O mercado está aquecido, os preços das commodities continuam em alta e ainda há muita área para abrir”, justifica  Faccioni. Segundo ele, as máquinas agrícolas têm uma vida útil média de cerca de dez anos. O produtor renova a frota a partir do término dos financiamentos e à medida que cresce em área, ou investe em tecnologia para ganhar mais eficiência nas lavouras.
“Vejo muito positivamente esse esforço da feira em abranger também a pequena e média agricultura. Temos muita tecnologia para isto, mas, é preciso haver mais informação e iniciativas governamentais para o acesso desse público. Programas como o Mais Alimentos acabaram financiando menos do que esperávamos, não por falta de recursos disponíveis, mas de informação”, alerta Felipe Faccioni.
Crescimento contínuo
A edição 2012 da Bahia Farm Show registra, até agora, um crescimento de 15% em relação ao ano passado. Segundo o coordenador Alex Rasia, deve chegar a 20% ao final das vendas. “Era o que esperávamos, dentro da infraestrutura de que dispomos. Priorizamos a melhoria no parque, como pavimentação das vias, a construção de novas estruturas permanentes, redes hidráulica e elétrica, acesso à internet, além do paisagismo. Isso gera conforto e segurança para público e expositores”, afirma.  Rasia diz ainda que, se continuar no ritmo de crescimento atual, dentro de cinco anos a feira deverá figurar entre as três maiores do País.
Para o presidente da Aiba, Walter Horita, a evolução da Bahia Farm Show repete o ritmo de crescimento do próprio Oeste da Bahia. “A fase do crescimento vertiginoso já começa a diminuir, e, tanto a região, como a feira, estão amadurecendo. Estão melhorando, na medida em que um alto patamar de excelência já foi alcançado”, explica Horita. Segundo o presidente da Aiba, a região cresce em torno de 7% a 10% ao ano, acima da média do PIB do agronegócio brasileiro, que já é superior ao do Brasil. “Apesar da consolidação, o Oeste ainda é uma área em expansão, que aguarda a definição da legislação ambiental para alcançar o seu pleno crescimento. A expansão se faz com máquinas, e a melhor vitrine para comprá-las é a Bahia Farm Show”, conclui Horita.
A Bahia Farm Show é uma realização da Associação de Agricultores e Irrigantes da Bahia (Aiba), em parceria com a Associação Baiana dos Produtores de Algodão (Abapa), Associação das Revendas de Máquinas e Implementos Agrícolas do Oeste da Bahia (Assomiba), Fundação Bahia e Prefeitura Municipal de Luís Eduardo Magalhães.
 
Fonte:
Imprensa Aiba/ Bahia Farm Show
Catarina Guedes – Assessora de Comunicação
(71) 3379-1777/ 8881-8064
(77) 8802-0684
www.bahiafarmshow.com.br
www.agripress.com.br

Codevasf promove debate sobre caprinovinocultura em Juazeiro (BA)

Codevasf promove debate sobre caprinovinocultura em Juazeiro (BA)


Com o objetivo de promover discussão com os criadores e representantes de instituições ligadas ao setor de caprinovinocultura, a 6ª Superintendência Regional da Codevasf em Juazeiro (BA) realiza na próxima segunda-feira (19), das 14 às 17 horas, debate aberto sobre perspectivas da cadeia produtiva da caprinovinocultura na região do Vale do São Francisco. O evento acontece no auditório da Superintendência (Avenida Comissão do Vale S/N – Bairro de Piranga – Juazeiro).
A intenção é conhecer a demanda baseada no contexto (oportunidades e ameaças) e a realidade local (potencialidades e problemas) e, a partir daí, desenvolver ações estratégicas capazes de enfrentar e contornar os problemas e de explorar as potencialidades locais, de modo a aproveitar as oportunidades e permitir a defesa diante das prováveis dificuldades.
Estudos indicam que a cadeia produtiva da caprinovinocultura encontra-se em evolução no Brasil e mais precisamente no estado da Bahia, onde destacam-se a produção de leite, carne e couro; as pesquisas genéticas para melhoria das raças e a melhoria na qualidade de produção de insumos para alimentação animal.
O superintendente da Codevasf, Emanoel Lima da Silva, ressalta a necessidade de eventos como esse para o crescimento do setor. “A Bahia é potencialmente um grande produtor no país e pode tornar-se muito mais importante. E este é um momento ideal para avaliarmos o que está dando certo e o que pode ser melhorado. Para isso, todas as esferas de governo, seja federal, estadual ou municipal, têm de trabalhar juntamente com os produtores e criadores de modo a ocupar lugar de destaque no mercado nacional”, afirmou.
Apoio - A Codevasf promove o Arranjo Produtivo Local (APL) da caprinovinocultura que tem como meta integrar todos os elos da cadeia produtiva (genética, carne e leite) e tornar a atividade mais competitiva e com possibilidades de alcançar novos mercados por meio de um sistema que integre as unidades produtivas localizadas no território baiano.
Para tanto, o propósito desse programa de APL é dinamizar a cadeia produtiva através da articulação entre os diversos setores de produção de modo a contribuir para o aumento da competitividade e o desenvolvimento sustentável da caprinovinocultura do estado da Bahia.
Dentre as várias ações para fortalecer o arranjo produtivo da caprinovinocultura da microrregião de Juazeiro está a criação da Fazenda Icó, que representa um instituto de fomento à caprinovinocultura. O projeto beneficia diretamente 39 comunidades e mais de 400 famílias de pequenos produtores em seu entorno, representados pelo Grupo Gestor das Associações Rurais de Barra Bonita e Região, responsável pela condução do processo de desenvolvimento da atividade ovinocaprina formado por membros de todas as associações vinculadas.
Das variáveis importantes podem ser citadas: Vigilância Sanitária (Estado considerado como zona livre de febre aftosa); Volume de Animais (Maiores rebanhos de animais do país - 1° lugar em caprino e 2° lugar em ovino); Questão Ambiental (vocação natural para a atividade); Educação (presença da Instituições de Pesquisa - Embrapa, Universidades e Escolas Agrotécnicas Federais na região); e Desenvolvimento de Produtos (agregação de valor aos subprodutos da caprinovinocultura - existência de abatedouros-frigoríficos, laticínios e curtumes localizados no Estado da Bahia).
Já os desafios a serem enfrentados: Questão Ambiental (convivência com os períodos da seca); Produção (Regularidade na oferta de animais com qualidade e em quantidade para atender o mercado nacional); Produtividade (utilização da capacidade total instalada dos abatedouros-frigoríficos); Cultura Associativa (organização e integração dos elos da cadeia produtiva); Pesquisa e Desenvolvimento (disseminar tecnologias do melhoramento genético de raças); e Cooperação (formar parcerias para o atendimento demandas do mercado interno e externo).
Estatísticas - O rebanho do estado da Bahia de caprino é da ordem de 4,2 milhões de cabeças, e de ovinos são 2,5 milhões de cabeças, correspondendo, respectivamente, a 42,0 % e 16,5 % do rebanho nacional, representando o principal rebanho do país.
O município de Juazeiro está situado no Território do Sertão do São Francisco (Bahia), junto com Campo Alegre de Lourdes, Casa Nova, Curaçá, Pilão Arcado, Remanso, Sento Sé, Sobradinho, Uauá e Canudos, representando 45 % do rebanho de caprinos e ovinos do estado.
Segundo dados do IBGE (2008), a caprinovinocultura apresenta rebanho de 2 milhões de cabeças no Sertão do São Francisco, sendo de grande importância na economia da região. Somente no eixo Petrolina-Juazeiro, o comércio de carne de caprinos e ovinos movimenta algo em torno de R$ 8,5 milhões/ano.
Conforme informações da Unidade de Desenvolvimento Territorial da Codevasf em Juazeiro, uma característica diferencial dos territórios estudados é a presença dos "fundos de pasto" (áreas de caatinga de domínio comunitário), utilizados por aproximadamente 95% dos produtores familiares da região. Por não terem documentação formal da terra, há dificuldade de acesso ao crédito bancário, assim como em outras formas de apoio. Estima-se que são 19 mil famílias envolvidas que vivenciam esta realidade.
Atualmente existem dois abatedouros em Juazeiro:
LAMM – Trabalha exclusivamente com ovinos e caprinos e tem capacidade de abate de 200 cabeças/dia. Entretanto, hoje só abate 150 cabeças/dia – 75% do total e é administrada por um grupo privado. Possuem Serviço de Inspeção Federal (S.I.F), mas só abatem ovinos por conta de não terem demandas para caprinos e tem como mercado principal as cidades de São Paulo, Recife e Brasília.
Abatedouro Almeida Ltda - ABATAL – Trabalha com abate de bovinos, suínos, ovinos e caprinos e tem capacidade instalada de abate de 400 cabeças/dia (caprinos/ovinos). Entretanto, hoje só abate 900 animais/mês e é administrada por um grupo privado. Possuem S.I.F, mas tem dificuldade de rodar o frigorífico por pouca oferta de matéria-prima.
Participarão do encontro, representantes do governo do estado da Bahia, prefeitura municipal de Juazeiro, Sebrae, Embrapa, EBDA, Adab, IRPAA, CAR, Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Juazeiro, Associação dos Criadores de Caprinos e Ovinos do Sertão do São Francisco - Accossf e produtores dos 27 municípios atendidos pela Codevasf.
Para informações sobre o evento e confirmação de presença, o telefone é (74) 3614-6202. 

Fonte: Codevasf

quinta-feira, 15 de março de 2012

Governador pede à ministra do Planejamento mais ações para combater seca no Nordeste

Wagner e o secretário Rui Costa reuniram-se com Miriam Belchior
 
 
 
O governador Jaques Wagner pediu à ministra do Planejamento, Miriam Belchior, para acelerar e aumentar os programas de combate à seca no Nordeste. Ela lhe informou, durante reunião ontem, em Brasília, que o estudo para a construção da barragem de Mirorós já se encontra adiantado, o que vai possibilitar a melhoria do atendimento à população da região. Também assegurou que os pleitos do governador baiano serão atendidos.
 
Wagner solicitou ainda a Belchior para viabilizar os novos programas de acesso à água e questionou sobre o andamento dos trâmites legais da liberação de recursos para o novo aeroporto de Vitória da Conquista. Segundo a ministra, os termos do convênio e a licitação para a construção do aeroporto estão bem adiantados, de modo que os recursos deverão sair em breve.
 
Posse – Antes da reunião com a ministra, o governador participou, no Palácio do Planalto, da cerimônia de posse do novo ministro do Desenvolvimento Agrário, Pepe Vargas, que substituiu o baiano Afonso Florence no cargo. Durante a transmissão do cargo, Florence fez um balanço de suas ações na pasta nos 14 meses em que esteve no governo.
 
A cerimônia contou com a presença também dos senadores Walter Pinheiro e Lídice da Mata, além dos secretários Rui Costa, da Casa Civil, e Cícero Monteiro, da Secretaria de Desenvolvimento Urbano.
 
A presidente Dilma Rousseff desejou sucesso a Florence no retorno à Câmara dos Deputados, esperando que ele continue a dar apoio às políticas da agricultura familiar. O governador também elogiou o trabalho de Florence e disse que ele será uma peça importante no apoio político ao governo no Congresso.



Fonte: SEAGRI

terça-feira, 13 de março de 2012

Codevasf atende comissão de mulheres do Salitre

Codevasf atende comissão de mulheres do Salitre



O superintendente regional da Codevasf em Juazeiro, Emanoel Lima, recebeu em audiência uma comissão formada por cinco representantes das comunidades que compõem o Vale do Salitre. Elas fazem parte da Comissão para Estruturação da Emancipação do Salitre.
A diretora social da entidade, Maria Kumiko Yamashita, estava acompanhada de Maria Helena de Souza Gonçalves dos Santos, da comunidade de Manga, Lúcia Simões Paiva Batista, presidente da Associação de Moradores de Gangorra II, Maria Gonçalves de Oliveira, tesoureira da Associação de Goiabeira II, Maria Gicionete da silva, secretária da mesma associação.
Elas procuraram a Codevasf com o objetivo de apresentar e discutir com o superintendente um projeto elaborado em parceria com a Associação Intermunicipal dos Garimpeiros do Médio São Francisco – AGAMESF, para capacitação de 30 pessoas das comunidades nas atividades de lapidação de pedras preciosas e semipreciosas, com o objetivo de proporcionar emprego e renda às famílias.
O projeto prevê ainda a capacitação de mais 30 pessoas na fabricação de artesanato mineral, uma das especialidades da AGAMESF, cujos trabalhos já são conhecidos nacionalmente, principalmente pela beleza das peças.
Segundo Maria Kumiko, outras localidades do Vale do Salitre, como Alfavaca, Marruá, Umbuzeiro e Rodeador também devem participar do Projeto. Ao todo a diretora social espera que sejam capacitadas cerca de 940 pessoas, entre homens e mulheres das comunidades, na fabricação de adornos minerais, artesanato mineral figurativo e também reaproveitamento de resíduos.
“Nós viemos aqui até a Codevasf para solicitar o empenho do superintendente para que isso vire realidade”, afirma Kumiko. Ela acrescenta que “no Vale do Salitre as pessoas estão deixando a região para vir para a cidade. As mulheres estão saindo de casa para trabalharem na cidade como diaristas por falta de condições melhores de sobrevivência”.
As integrantes da comissão esperam que, até o segundo semestre deste ano, essa capacitação, com o apoio da AGAMESF e da Codevasf, seja realizada. Para elas esse projeto vai proporcionar, além de uma oportunidade de emprego e geração de renda, a criação de uma identidade própria da região, tornando os participantes independentes e com uma atividade garantida para sobrevivência.
Na ocasião o superintendente regional da Codevasf em Juazeiro, Emanoel Lima, manifestou seu apoio à iniciativa da comissão de mulheres e já solicitou ao corpo técnico da companhia que seja viabilizada o mais breve possível a concretização dessa ideia.
Emanoel Lima vê a possibilidade de incluir esse pleito dentro do programa de Arranjos Produtivos Locais, desenvolvido pela Codevasf em toda sua área de atuação, e que tem identificado linhas de ação que visam à exploração das potencialidades e vocações regionais, além de organização processos produtivos e de comercialização, valorizando o capital humano e da governança local.

Fonte: Codevasf

Governo Federal vai liberar R$10 milhões para os municípios baianos combaterem a seca na região de Irecê

Deu no Bahia Notícias, que o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra, anunciou a liberação imediata de R$ 10 milhões para os municípios baianos em estado de emergência por conta da seca. O anúncio foi feito em uma audiência com o senador Walter Pinheiro (PT-BA) na tarde desta segunda-feira (12). Bezerra ainda garantiu o reconhecimento, por parte da União, do estado de calamidade dos 75 municípios, já decretado pelo Governo do Estado da Bahia. Essa primeira remessa de recursos federais servirá para aquisição de cestas básicas e serviços para transporte de água para as cidades castigadas, principalmente as do Semiárido baiano. Pinheiro pediu que a Coordenação Estadual de Defesa Civil (Cordec) envie a documentação (laudos e pareceres técnicos) de todos municípios baianos em situação de emergência para que o governo federal tenha condições de garantir a publicação do decreto ainda esta semana e agilize o repasse de verbas. Em pronunciamento sobre as políticas de convivência com a seca que fez no plenário do Senado, logo após a reunião, o senador disse que conseguiu, junto à Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), a autorização para construção de 5.000 cisternas na região de Irecê.


Fonte: Bahia Notícias

Estado autoriza mais obras para recuperação de rodovias

A recuperação de estradas em diversas regiões do interior do estado é um dos destaques do programa de rádio Conversa com o Governador de hoje. Jaques Wagner fala de obras entregues no último sábado em Ibititá e Barra do Mendes e também de outros trechos recuperados e da assinatura de ordem de serviço para beneficiamento de mais rodovias em diversos municípios.
 
"Já entregamos vários trechos de Irecê até Ibipeba e agora em Barra do Mendes e Ibititá, onde foram investidos mais de R$ 5,2 milhões, beneficiando aproximadamente 275 mil moradores", afirma Wagner. No programa ele destaca ainda a realização, em Salvador, do 13º Simpósio Nacional do Agronegócio Café (Agrocafé), com o apoio do Governo do Estado, e enfatiza que a Bahia se destaca no setor e é o quarto maior produtor do Brasil.
 
"Eram obras esperadas e vão melhorar muito o fluxo na região"
 
Festa – No último sábado, Jaques Wagner esteve no município de Irecê, onde assinou ordem de serviço para recuperação de trechos de rodovias nos distritos de Angical e Itapicuru, sendo recebido com festa pelos moradores, em sinal de gratidão pela autorização do projeto. "Eram obras esperadas e vão melhorar muito o fluxo na região."
 
Em Ibititá, além da estrada recuperada, o governador inaugurou uma Unidade de Saúde da Família, o que representou mais um investimento do governo na área de saúde em benefício da população. Ainda no município, ele anunciou que em breve estará inaugurando a melhoria na estrada do feijão, no trecho de Porto Feliz a Xique-Xique, projeto de grande importância para o escoamento da produção regional e da locomoção dos moradores, inclusive dos estudantes.
 
Pavimentação – A agenda do governador voltada para a recuperação de estradas prossegue no decorrer desta semana. Para esta quarta-feira, está prevista a ida dele ao município de Andorinha, onde assinará ordem de serviço para pavimentação de um trecho da BA-220, ligando a localidade de Igara e Senhor do Bonfim, com investimento de quase R$ 19 milhões. Também assinará ordem de serviço em Novo Triunfo para recuperar um trecho de 11 quilômetros da BR-110, com gastos de R$ 4,1 milhões.
 
Na quinta, Wagner se desloca até Jaguaripe, onde assinará ordem de serviço para recuperar 14,5 quilômetros da BA-001, com investimentos de R$ 5,3 milhões. Depois vai a São Miguel das Matas para entregar as obras de pavimentação de nove quilômetros da BA-026, com recursos de R$ 1,9 milhão.
 
"A agricultura, o agronegócio e a agricultura familiar têm puxado o PIB baiano para cima"
 
Agrocafé – Aberto ontem, no Hotel Pestana, em Salvador, o 13º Agrocafé é outro assunto destacado pelo governador, que participou da cerimônia de abertura do evento, ao lado de produtores, empresários, representantes dos ministérios da Agricultura e Desenvolvimento Agrário e agricultores.
 
Ele ressalta o apoio do Governo do Estado ao simpósio nacional e fala da importância da Bahia no contexto nacional da produção do café e do agronegócio, que, em 2011, teve um incremento de mais de 9% do PIB em relação a 2010. "A agricultura, o agronegócio e a agricultura familiar têm puxado o PIB baiano para cima" diz o governador. Wagner também informa que assinou um termo de cooperação com o Ministério do Desenvolvimento Agrário, da ordem de R$ 24 milhões, por quatro anos, para apoiar principalmente o povo.
 
Segundo ele, no setor cafeeiro, 90% dos participantes são de pequenos produtores que às vezes têm dificuldade para obter de assistência técnica. Acrescenta que o estado continuará apoiando, visando melhorar tanto a produção quanto a produtividade. "Espero continuar assim, fazendo mais para quem mais precisa, ajudando a todos os baianos a melhorarem as suas vidas", diz.
 
O programa é produzido pela Secretaria de Comunicação Social do Estado da Bahia (Secom), veiculado toda terça-feira, às 7h30, pela Rádio Educadora FM 107,5 MHz e reproduzido por vários veículos de comunicação, além de ficar disponível na página do Conversa e pelo telefone 0800-071-7328.
 
Fonte : Seagri

Cursos da EBDA incentivam pequenos produtores do semiárido

Há três anos, a agricultora familiar do distrito de Riacho Grande, em Casa Nova, Sílvia Brasil, 42 anos, e seu marido, José Carlos Brasil, 44, decidiram incorporar em suas atividades, além da tradicional caprinoovinocultura, a apicultura, após uma oficina sobre apicultura realizada pela Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), órgão da Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri).
 
Hoje, a família de Sílvia atinge excelentes resultados de produção, chegando a 2,5 toneladas de mel por ano. Devido ao grande sucesso na atividade, a agricultora familiar tornou-se uma multiplicadora de conhecimentos apícolas em sua comunidade. Mas nem sempre foi assim. Antes da apicultura, trabalhava apenas com culturas de subsistência, sem resultados expressivos.
 
Segundo ela, em 2009, foram realizados mais dois cursos apícolas pela EBDA, onde um deles orientava sobre a elaboração de projetos de investimento para início de um empreendimento.
 
 
Simpósio nacional reúne cafeicultores
 
A produção e variedade do café brasileiro e as alternativas para os cafeicultores viabilizarem seus negócios serão discutidas durante o 13o Simpósio Nacional do Agronegócio Café (Agrocafé), que será aberto, nesta segunda-feira, com a presença do governador Jaques Wagner, no Hotel Pestana, em Salvador. O evento, promovido pela Associação dos Produtores de Café da Bahia (Assocafé), com o apoio do Governo do Estado, termina no dia seguinte.
 
Fonte: Seagri

Feijão segue com preços altos no país

Os produtores brasileiros de feijão estão às voltas com a segunda safra da cultura, que começou em janeiro e vai até maio, e já sabe que o produto que será colhido segue a toada de preços elevados para o consumidor.
 
Segundo o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) medido pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) referente a fevereiro e divulgado na semana passada, o feijão preto foi o que mais subiu (14,4%) de um mês para o outro dentro da categoria de alimentos - que engloba carnes, vegetais, grãos, café e açúcar.
 
 
O resultado consolidado do índice que também mede transportes, combustíveis, eletrodomésticos, vestuários, habitação, saúde e cuidados pessoais, entre outros, foi de 0,45%, abaixo da taxa de 0,56% registrada em janeiro.
 
O preço da saca (60 quilos) de feijão preto não tem decepcionado os agricultores do Sul do país neste primeiro bimestre, conforme a consultoria Safras & Mercado. No Rio Grande do Sul, ela saltou de R$ 77,63 em janeiro para R$ 83,67 em fevereiro. No Paraná, saiu de R$ 86,04 para R$ 93,06. Em Santa Catarina, pulou de R$ 72,46 para R$ 96,74. Em São Paulo, o preço sofreu uma ligeira queda, de R$ 117,16 para R$ 112,63.
 
Já variedade carioca teve alta de 0,61% (R$ 148 a saca), no Paraná em fevereiro. Em São Paulo, o salto foi de 1,81% (R$ 141), e na Bahia, de 5,29% (R$ 179).
 
Segundo a Safras & Mercado, o feijão carioca nota 9 (considerado o de melhor qualidade e o preferido do consumidor) teve alta de 40,74% nos dois primeiros meses do ano. A saca foi cotada em R$ 177,84, em fevereiro.
 
Os preços mais elevados podem ser explicados pela redução de 10,4% do plantio da primeira safra -perto de 1,2 milhão de hectares, conforme dados da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). A lavoura diminuiu porque o produtor rural fez opção pelo milho e pela soja, por conta do excesso de chuva em São Paulo e pela estiagem que afetou drasticamente o Sul do país.
 
O consumo diário per capita de diferentes tipos de feijões no Brasil é de 182,9 gramas - equivalente a pouco mais que uma concha e meia por dia. Isso coloca a planta da família das fabaceae em segundo lugar na preferência nacional, atrás do café (215, 1 gramas) e à frente do arroz (160, 3 gramas), de acordo com dados de 2011 do IBGE.
 
Fonte : Seagri

segunda-feira, 12 de março de 2012

Obras de Infraestrutura na Bahia estão entre as 10 obras mais atrasadas do Brasil

http://blogdasoportunidades.com.br/wp-content/uploads/2011/10/104862.jpg

A revista EXAME realizou um levantamento de mais de 1.000 obras de infraestrutura que não saíram do papel ou que se arrastam há anos em todo o país, consumindo dinheiro público e sem previsão de entrega.
Das dez principais, duas estão na Bahia. São elas: O Perímetro de Irrigação Salitre, no Baixio de Irecê, em construção desde 1998, e o Metrô de Salvador, que se arrasta desde 2000. A mais antiga é um projeto de irrigação em Minas Gerais, do ano de 1974.
A lista com 1.010 obras e projetos tem um orçamento total de 558 bilhões de reais.

Fonte : Blog das Oportunidades.

Obras de infraestrutura beneficiam municípios de Irecê e região

O governador Jaques Wagner assinou, neste sábado (10), em Irecê, a ordem de serviço para recuperação dos trechos das BAs 800 e 801 que ligam o município ao distrito de Angical, com 12 quilômetros de extensão, e ao distrito de Itapicuru, mais 12 quilômetros. As obras estão orçadas em mais de R$ 3,4 milhões e beneficiarão 38 mil pessoas de Irecê, Lapão e João Dourado.


Além de mais comodidade e segurança aos motoristas que trafegam pelo local, a obra favorecerá a economia dos municípios beneficiados, como destaca o senhor Dermival Batista, 70 anos. “Moro em Itapicuru desde que nasci e fico muito grato em ver esta estrada agora recuperada. Nosso deslocamento até Irecê vai ficar mais tranquilo, principalmente para quem precisa escoar a lavoura”.


Também foram entregues, em Barra do Mendes, mais de 18 quilômetros de estrada recuperada. Trafegam no trecho da BA-148, que liga Ibipeba ao município, cerca de 420 veículos, diariamente. O investimento de mais de R$ 5,2 milhões atenderá 275 mil moradores de Barra do Mendes, Barro Alto, Canarana, Irecê, Ibititá e Ibipeba.



De acordo com o secretário de Infraestrutura, Otto Alencar, faz parte do programa do governo facilitar os acessos a todos os lugares do estado e estas ordens de serviço assinadas e a entrega deste trecho recuperado representam a melhoria no deslocamento e na qualidade de vida dos moradores.
Wagner também comentou a crise de água na Barragem de Mirorós. “Não podemos permitir que 350 mil pessoas fiquem sem água devido a essa crise na barragem. Até o final desse ano ou início do próximo, estaremos com a Adutora do São Francisco pronta, abastecendo a região com água do Rio São Francisco”, assegurou. Jaques Wagner disse ainda que a terceira etapa das obras de construção da Adutora do São Francisco será construída sem licitação porque os municípios decretarem situação de emergência.
 
Quanto ao Hospital Regional, o governador falou que dia 13, irá se reunir com o prefeito Zé das Virgens, o secretário da Saúde da Bahia, Jorge Solla, e o secretário da Casa Civil, Rui Costa, para encontrar uma solução definitiva para o Hospital. “Se for o caso, o Estado assumirá o hospital, mas vamos discutir o assunto em coletividade na reunião”, relatou Jaques Wagner



Fonte:  Irecê Repórter

        Avoz Online

sábado, 10 de março de 2012

Projeto de irrigação deverá atender à ovinocaprinocultura do Território do Piemonte Norte do Itapicuru

Foto: Heckel Jr. / Imprensa SEAGRI
Provocada pelo secretário de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes), Carlos Brasileiro, representantes da Associação de Criadores de Caprinos e Ovinos da Microrregião do Senhor do Bonfim e lideranças da região se reuniram, nesta quinta-feira (8), com o secretário da Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles com o intuito de ajustar os detalhes na finalização de um convênio para utilização de área no Perímetro Irrigado do Distrito de Ponto Novo, que já tem implantado sistema de irrigação, destinada à produção de feno.
“Estamos aqui para acertar os últimos detalhes de uma área que irá se tornar o pulmão verde na produção de feno para toda a região, fazendo avançar a passos largos a ovinocaprinocultura local” disse o secretário. O convênio, firmado com a Secretaria da Agricultura e o Distrito de Irrigação de Ponto Novo, será pactuado com o município e as associações regionais para a produção de feno.
A iniciativa irá ajudar no avanço do desenvolvimento dos pequenos produtores. A previsão é iniciar o plantio no mês de abril. A ideia é produzir feno com preços subsidiados para os pequenos produtores da região, abastecendo o rebanho em períodos de seca, além de desenvolver uma central de terminação de caprinos.
Com o objetivo de fazer com que pequenos produtores tenham acesso a reprodutores de alta qualidade, e possam estruturar suas criações, foi lançado esta semana o Programa de Melhoramento Genético de Rebanhos Caprinos e Ovinos da Bahia, o Pró-Berro, elaborado pela Secretaria da Agricultura (Seagri). A atividade é prioritária e possui linhas de financiamentos adequadas, com prazos de até 24 meses e seis meses de carência, com juros subsidiados pelo Banco do Brasil (BB) e o Banco do Nordeste (BNB).
Participaram da reunião, o superintendente de Irrigação da Seagri, Marcello Nunes, o presidente da Associação de Criadores de Caprinos e Ovinos da Microrregião do Senhor do Bonfim, Gaudencio Duarte, o presidente da Câmara de Vereadores, João Carlos, e os secretários da Agricultura do Senhor do Bonfim e Ponto Novo, Raimundo Freitas e Fernando Antônio, respectivamente.
 
Fonte:
Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri)
Assessoria de Imprensa
Fones: (71) 3115-2737 / 2767 / 2794
Site: www.seagri.ba.gov.br
E-mail: imprensa@seagri.ba.gov.br

sexta-feira, 9 de março de 2012

Produtores correm o risco de perder as terras na BA

JUAZEIRO (BA) - Produtores dos perímetros irrigados do Norte da Bahia correm o risco de perder as terras por falta de pagamento de dívida com o Banco do Nordeste. Muitos pediram empréstimo, mas por variação de mercado ou do clima, tiveram prejuízos nas safras e agora estão com dificuldades em honrar o compromisso.

No entanto, o não pagamento das dívidas acarreta a execução e leiloamento das terras. Antes que isso aconteça, eles reuniram representantes do banco, autoridades políticas e mais de 200 produtores para discutir soluções e melhoras para o problema. Entre as principais alternativas está a prorrogação da dívida por mais 120 dias.

Veja outras reivindicações e mais detalhes na Reportagem exibida no
Rural Notícias Link Abaixo

http://blogs.ruralbr.com.br/nordesterural/

Fonte : Canal Rural

PIB baiano cresceu 2,0 por cento em 2011

O diretor-geral da Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), Geraldo Reis, divulga em nota oficial o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) da Bahia. O PIB estadual cresceu 2,0% em 2011, em comparação ao ano anterior. Já a estimativa para 2012 é alcançar marca de 3,7%. O setor de serviços (3,6%) e agropecuária (9,8%) foram os destaques positivos, já a indústria teve percentual negativo (-2,9%) em 2011. Quanto ao PIB nacional, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aponta acréscimo de 2,7% no ano passado.

A SEI é autarquia da Secretaria de Planejamento (Seplan), que por meio do secretário Zezéu Ribeiro se posicionou sobre os números divulgados: “2012 certamente será melhor do que 2011, pois terminamos o ano com todos os indicadores macreconômicos favoráveis: inflação sob controle, disciplina fiscal e taxa de câmbio competitiva. Essa situação vai possibilitar um maior crescimento da economia, puxado pelos investimentos públicos (aeroportos, transportes e obras da Copa do Mundo), ganho real para o salário mínimo, juros em queda, flexibilização das medidas prudenciais, permitindo ao crédito se recuperar um pouco mais rapidamente”.

Geraldo Reis explica que, em termos conjunturais, o resultado é influenciado pelas taxas de 2010, quando houve forte crescimento do PIB, nacional e estadual (7,5%), estimulando um desequilíbrio entre oferta e demanda. “Devido a esse quadro, o governo federal teve que adotar, no 1º semestre de 2011, medidas de políticas contracionistas para o controle inflacionário, como aumento da taxa Selic e contenção de crédito. Já no 2º semestre houve flexibilização, e o governo Dilma Rousseff passou a aplicar ações para garantir a expansão econômica, em conseqüência do agravamento da crise internacional, em particular da Europa”, justifica o diretor-geral da SEI.

Sob ponto de vista estrutural, Geraldo Reis explana que o momento é de reflexão: “Há sinais de limitações na estratégia de crescimento econômico focado no consumo das famílias mediantes aumento real do salário mínimo e transferência de renda”. O diretor-geral da SEI explica que este raciocínio aponta para um crescimento mais moderado na região nordeste. No caso baiano, com projeção de 3,7% para 2012, a expectativa continua positiva: “Há consolidação no atual ciclo de atração de investimentos públicos e privados, que podem garantir um desenvolvimento mais consistente e equilibrado”, conclui Reis.


Com base nos cálculos realizados, a taxa de crescimento do PIB em 2011 foi mais uma vez determinada pelo setor de serviços (3,6%), por ter na estrutura econômica estadual o peso de 64%, sob destaque do comércio varejista, com expansão de 5,3%. Já os segmentos de transporte e alojamento e alimentação tiveram expansão de 4,9% e 4,3% respectivamente, em 2011.

O setor agropecuário também contribui positivamente com acréscimo 9,8%. A produção física da maioria dos produtos cultivados, sobretudo os grãos, cresceram mais de 13%, segundo os dados do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola (LSPA/IBGE). Houve incrementos em relação à safra anterior na produção de algodão (58,6%), soja (12,9%), cana-de-açúcar (11,5%), mandioca (4,6%) e café (4,4%). Em contrapartida encerraram o ano apresentando retração as safras de feijão (-23,9%), e milho (-5,3%)

Por outro lado, a indústria, mais uma vez, teve contribuição negativa, com queda de 2,9% ao longo do ano. Entre os segmentos deste setor com decréscimo, estão: extração mineral (-2,3%) e transformação (-5,7%). Já a construção civil amenizou o quadro com expansão de 6,0%.

Analisando-se os dados da produção física, observamos que apenas os segmentos de alimentos e bebidas (7,7%), borracha e plástico (4,6%) e minerais não-metálicos (5,1%) tiveram crescimento em 2011. Todos os demais segmentos registraram retração na produção física, com destaque para queda de 9,6% em refino de petróleo e álcool.

Quarto Trimestre

O PIB do quarto trimestre de 2011 foi 1,4% superior ao mesmo período de 2011. Nesse panorama, manteve-se no quarto trimestre a tendência de crescimento nos setores de serviços (2,0%) e agropecuária (11,5%), tendo a indústria queda (-3,4%).

FONTE: Seplan

Pequenos produtores de Sento-Sé receberão seguro Garantia Safra

Representantes da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), autarquia da Secretaria da Agricultura do Estado (Seagri), do Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e da Superintendência de Agricultura Familiar (Suaf), após reunião ontem, em Salvador, decidiram que os agricultores familiares que perderam mais de 50% na produção de feijão e milho (foto), em Sento-Sé, na safra 2010/2011, receberão pagamento do seguro do programa Garantia Safra.

De acordo com o gerente regional da EBDA em Juazeiro, Osvaldo Lopes Júnior, mais de 1,3 mil beneficiários irão receber o pagamento, a partir do próximo mês, sendo as duas primeiras parcelas pagas em abril. Em maio, será liberada a terceira parcela, e a última, em junho. "Os recursos totalizam R$ 841,60 mil, valor que chega diretamente às mãos do agricultor, e que vão aquecer a economia do município."

O gerente ainda informa que, além de Sento-Sé, já foi liberado, pelo MDA, o pagamento do seguro dos municípios de Sobradinho, em fevereiro passado, e o de Remanso, neste mês. Ainda estão inseridos os municípios de Uauá, Casa Nova, Campo Alegre de Lourdes, Pilão Arcado, Canudos, Curaçá e Juazeiro, onde ficou comprovada, nos laudos elaborados pelos técnicos, a perda da safra 2010/2011.

Distância dificulta verificação do regime de chuvas

Em alguns municípios ocorreu a suspensão dos pagamentos, devido às informações disponibilizadas ao MDA, pelo Instituto de Meteorologia (Inmet) e o IBGE, registrarem a ocorrência de chuvas suficientes para a manutenção da safra. Já os laudos da EBDA demonstraram que as estações meteorológicas da região não têm condição de fazer, com segurança – em função das distâncias entre os municípios envolvidos e as estações –, uma análise que implique na eliminação dos municípios de Uauá ou Canudos, já que esses tiveram, realmente, perda de safra por falta de chuva suficiente.

Segundo o técnico da EBDA responsável pela elaboração dos laudos, Edson Couto, a região de Uauá, por exemplo, obteve perdas de 82,60%, na produção de milho, e 88,77%, na produção de feijão.

Já em Canudos, os índices atingiram 97% de perda, na produção de milho, e 98% de perda, na produção de feijão. "Vale ressaltar que os limites máximos de confiabilidade das estações, para se realizar uma avaliação dessa natureza, não podem ser superiores a um raio de 10 a 15 quilômetros, e no caso desses municípios, estão a mais de 120 quilômetros de distância", esclareceu o técnico.

Fonte : SEAGRI

"Plantão" Cotação Agrícola

CEBOLA


Data Praça Tipo Unidade Preço

01/03/2012 IRECE (comum) sc 20 kg R$ 17,00
02/03/2012 IRECE (comum) sc 20 kg R$ 17,00
05/03/2012 IRECE (comum) sc 20 kg R$ 17,00
06/03/2012 IRECE (comum) sc 20 kg R$ 17,00
07/03/2012 IRECE (comum) sc 20 kg R$ 17,00
08/03/2012 IRECE (comum) sc 20 kg R$ 17,00


Feijão

Data Praça Tipo Unidade Preço

01/03/2012 IRECE Carioca sc 60 kg R$ 160,00
02/03/2012 IRECE Carioca sc 60 kg R$ 160,00
05/03/2012 IRECE Carioca sc 60 kg R$ 160,00
06/03/2012 IRECE Carioca sc 60 kg R$ 160,00
07/03/2012 IRECE Carioca sc 60 kg R$ 160,00
08/03/2012 IRECE Carioca sc 60 kg R$ 160,00

quinta-feira, 8 de março de 2012

quarta-feira, 7 de março de 2012

Nova Pagina no Blog Baixio de Irecê !

O Blog Baixio de Irecê tá com mais uma página, chamada "Cotações Agrícolas".

"Cotação Agrícola" quer dizer preços de alguns produtos como :

Cebola .
Tomate.
Feijão.
Milho.
Mamona.
Beterraba.  

Página sempre atualizada, e a fonte das cotações é das mais seguras. SEAGRI - Secretária da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária.

Governador estará neste sábado em Irecê para autorizar início de obras

http://irece.ba.gov.br/bd/imagens/noticias/jaqueswagner.jpg



O prefeito José Carlos Dourado das Virgens tem a satisfação de convidar toda a população para recepcionar o governador Jaques Wagner e o vice-governador Otto Alencar que estarão em Irecê neste sábado, 10 de março.

Wagner e Otto chegarão às 9 horas no aeroporto local, seguindo em carreata até o povoado de Itapicuru, onde será assinada a Ordem de Serviço de asfaltamento da estrada que liga Irecê a Fazenda Nova.

Em seguida a carreata seguirá até o povoado de Angical, onde também será assinada a Ordem de Serviço de asfaltamento da estrada que liga a localidade a sede do Município.

A obra de asfaltamento das estradas é uma solicitação do prefeito José das Virgens, que totaliza cerca de R$ 3,2 milhões e beneficia diretamente mais de 5 mil moradores dos povoados de Fazenda Nova, Itapicurú, Umbuzeiro, Queimada dos Rodrigues, Meia Hora, Angical, Queimada do Floriano, Barro Branco e diversas propriedades rurais.

O governador também visitará os municípios de Ibititá e Barra do Mendes.

Fonte : www.irece.ba.gov.br

Estado projeto de energia solar em Xique-Xique


 
Usina será cinco vezes maior do que a instalada no Ceará


Depois da energia dos ventos, agora é a energia solar que começa a se desenvolver na Bahia. No último fim de semana, o Diário Oficial do Estado publicou a licença do projeto do grupo Enel Green Power, em Xique-Xique, no semi-árido baiano, com capacidade de produzir 5 MW de energia através de painéis fotovoltaicos (solares). Comparativamente, no Ceará a usina MPX, já em operação, produz apenas 1 MW.
A Enel já possui investimentos em energia eólica na Bahia, onde está implantando cinco parques de energia movida pelo vento com potência instalada de 146,4 MW, nos municípios de Igaporã e Morro do Chapéu.
Com a licença ambiental, agora o projeto aguarda do Governo Federal a realização de leilão para energia solar. “O governo da Bahia atua junto à esfera federal para que esta fonte possa ser introduzida na matriz elétrica brasileira. O projeto de Xique-Xique junta-se à usina do Estádio Governador Roberto Santos (Pituaçu), que está em construção e será o primeiro estádio solar do país”, diz James Correia, secretário da Indústria, Comércio e Mineração (SICM).
Segundo dados da SICM, outras empresas de energia solar prospectam na Bahia e apontam para mais de 1 GW de projetos em análise no Estado.
“O potencial solar baiano é um dos maiores do Brasil e, assim como a energia eólica, podem trazer importantes ganhos para o estado devido às regiões de maior incidência solar se encontrar em zonas que precisam de investimentos e oportunidades”, explica Rafael Valverde, Secretário Executivo da Câmara de Energia da SICM.
De olho nesse potencial, a Bahia já possui indústrias e empresas especializadas em equipamentos solar em processo de implantação. Dentre elas, destacam-se o grupo Viv (Portugal), Agnys (Brasil), Gehrlicher Ecoluz (Alemanha-Brasil) e Donauer (Alemanha).

Fonte : www.ambienteenergia.com.br

Revitalização do rio São Francisco é tema de encontro na Bahia

Revitalização do rio São Francisco é tema de encontro na Bahia




A Revitalização do Rio São Francisco foi o assunto principal da Reunião Funcional de Capitães dos Portos do Grupo Hidrovias 2012, realizada no auditório da 6ª Superintendência Regional da Codevasf em Juazeiro (BA).
No evento, foram tratados temas como a segurança da navegação nas principais hidrovias brasileiras e promovido um Workshop com o tema “A Hidrovia do São Francisco: alternativa dentro do transporte intermodal e indutor do crescimento socioeconômico".
O secretário da Indústria Naval e Portuária do Estado da Bahia, Carlos Costa, falou sobre a importância da reunião dos capitães de portos. “Nós do Governo da Bahia temos lutado pelo projeto de Revitalização do Rio São Francisco e abrimos uma frente de trabalho, juntamente com a Codevasf, para começar o processo tão esperado pelo povo daquela região”.
Costa ministrou a palestra principal do evento, onde também destacou informações a respeito da revitalização deste grande modal: Podemos dizer que esse processo (revitalização) já está acontecendo e por essas razões julgamos próprio o momento desta reunião onde contamos com a presença de renomadas autoridades envolvidas na logística fluvial, pontuou o secretário.
Na oportunidade, o vice-almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira falou sobre a necessidade de fortalecer a segurança marítima. “Temos que seguir as normas internacionais de navegação e, sobretudo, conscientizarmos todos os setores, sejam poder executivo ou sociedade civil organizada”.
A Reunião Funcional entre as Capitanias dos Portos possui como área de atuação principal as hidrovias brasileiras, tendo como propósito padronização de procedimentos comuns as mesmas.

Codevasf - A parceria com a Codevasf, por meio da Gerência Regional de Revitalização (GRR), consiste na melhoria da Hidrovia São Francisco, inicialmente no trecho Ibotirama/Juazeiro e em etapa posterior, no trecho Pirapora/Ibotirama.
Na 6ª Superintendência Regional em Juazeiro, esta ação tem como meta atingir 320 km de hidrovia navegável com investimentos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) da ordem de R$ 100 milhões. Além disso, também há estudos, construção e monitoramento utilizando técnicas de contenção dos processos de erosão das margens, dragagens, derrocamentos e recomposição das matas ciliares.
E, ainda, dentro desta linha de atuação, há o Projeto Campo de Provas, onde campo experimental será implantado visando conhecer a situação hidrodinâmica e morfológica do rio São Francisco e definir metodologias a serem aplicadas na recuperação da navegabilidade.
Participaram do evento o comandante do 2º Distrito Naval, vice-almirante Carlos Autran de Oliveira Amaral, o diretor de Portos e Costas, o vice-Almirante Eduardo Bacellar Leal Ferreira, os capitães dos Portos das Capitanias Fluviais do Rio Paraná, Pantanal, Tietê Paraná, Araguaia Tocantins, Brasília, Rio São Francisco e outras autoridades convidadas.

Fonte:Codevasf

terça-feira, 6 de março de 2012

Mais fotos em breve!

Oi pessoal que Curtem o "Baixio de Irecê", consegui varias fotos com ex trabalhadores do projeto. Fotos do dia dia dos trabalhadores na famosa "LABUTA" para colocar esse projeto a todo vapor ! as fotos estarão na pagina do "Baixio de Irecê" no Facebook e aqui no Blog!




Em Breve...
www.facebook.com/baixiodeirece

Video do Povoado de Boa Vista onde fica o canal do projeto.

O pessoal do site "Tv Xique Xique" Gilson o Edson e a Elis Meneses fizeram esse video do povoado de Boa Vista, onde se localiza o projeto do "Baixio de Irecê". No video passa as ruas do povoado, o canal onde passa a água para a irrigação do projeto. Assista ta bem legal ! ^^


sexta-feira, 2 de março de 2012

Novo sistema permite escolher tipos de irrigação mais adequados aos solos

A primeira versão do SiBCTI foi lançada em 2005. A versão atual da metodologia para irrigação, adaptada ao solo brasileiro, foi ampliada em termos de funcionalidade e de parâmetros de avaliação, disse à Agência Brasil o engenheiro agrônomo da Embrapa Solos, Fernando Cezar Amaral, coordenador do trabalho. "Ele está atualizado em termos de sistema de irrigação, de culturas, de formas de acesso, de interação com o usuário".

Amaral esclareceu que antes desse novo sistema não havia uma maneira precisa de auxiliar o governo na adoção de políticas de irrigação, especialmente no Nordeste. Havia o risco de serem feitos investimentos em um determinado grupamento de solos com retorno muito baixo ou mesmo a perda do solo por questão de salinização, por exemplo. A versão atualizada do sistema garante segurança maior ao investimento. "Chama-se um investimento sustentável ao longo do tempo".

O pesquisador revelou que os investimentos nos perímetros irrigados são vultosos, entre R$ 300 milhões e R$ 500 milhões. Daí, a importância da metodologia para o Brasil.

Amaral destacou que a nova versão do sistema poderá subsidiar o Programa Mais Irrigação, que será lançado ainda em 2012 pelo governo federal. O programa visa a implantar 200 mil hectares de perímetros irrigados em todo o Semiárido nordestino, com a criação de 500 mil postos de trabalho.

A metodologia faz uma avaliação completa do ambiente no que se refere aos parâmetros de solo e da água para irrigação, além da cultura que a pessoa vai explorar no local e o sistema que ela pretende utilizar. "O sistema cruza essas informações todas e dá uma avaliação daquele ambiente que você está pretendendo explorar. Tudo isso feito de forma atualizada, segura, testada, de acordo com a realidade brasileira. Diferentemente do que havia antes, que era uma metodologia norte-americana, adaptada para as condições brasileiras, mas que não teve muito sucesso".

Realizado em parceria com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), o trabalho foi aplicado em solos com salitre, para cultivo da cana-de-açúcar. No momento, os pesquisadores estão concluindo as experiências no Baixio do Irecê, na Bahia.

Fernando Amaral disse que o SiBCTI é mais direcionado para os gestores públicos tomadores de decisão, "porque é onde você vai planejar a área, vai investir, planejar o recurso. Então, ele tem uma aplicação maior para esse seleto grupo de gestores". Como é um sistema gratuito, ele está disponível também para estudantes e consultores, "para quem tiver interesse", acrescentou.

FONTE

Agência Brasil

Alana Gandra - Repórter
Graça Adjuto - Edição